Caju anão precoce garante renda na região de Picos

0
177

O caju anão precoce garante renda aos agricultores da região de Picos que adotaram a cultura como uma das principais fontes de renda, A colheita do cajú e da castanha acontece no período de maio ao mês de novembro, dependendo das condições climáticas. O plantio chegou a atingir 200 mil hectares  no Estado do Piauí, no ano de 2011, sendo que desse total cerca de 60% está na grande região de Picos que atualmente desponta como a maior produtora o Estado.

O presidente da Central de  Cooperativas de cajcultores do Estado do Piauí, Jocibel Belchior Bezerra  afirma que os últimos cinco anos de seca na região fez desparecer aproximadamente 60%  da área plantada. O cajueiro gigante que iniciou a cultura na região aos poucos foram sendo substituídos pelo cajueiro anão precoce em razão do período de produção ser maior e dos tratos culturais que possibilita maior aproveitamento de pedúnculo e consequentemente   de maior lucratividade.

Jocibel, Presidente da COCAJUPI

“Cajucultura  hoje com a  variedade e melhoramento genético aproveita a mão de obra familiar e promove geração de trabalho e renda aos pequenos produtores da região que tem na cultura do caju a garantia do sustento sustento das famílias. Também existe o grande produtor que vem investindo pesado no plantio e produção de caju e castanha , melhorando as estatísticas da economia na grande região de Picos”,disse Jocibel .

A Central de  Cooperativas de Cajcultores reuni atualmente 450 cajucultores  associados com a perspectiva de ampliar esse número. A Central destaca dentre as conquistas a revitalização dos pomares de 921 hectares de caju, através do programa viva semi-árido( Fida) na região de Picos, além da aquisição de  implementos agrícolas e  maquinas de corte de castanha e assistência técnica. As ações realizadas pelo o FIDA através da secretaria de desenvolvimento rural  segundo o presidente da Central de Cooperativas está o  mais completo projeto de revitalização da cajultura piauiense.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa é que no ano de 2017 a safra de caju anão precoce no Piauí ultrapasse as 27 mil toneladas de castanha de caju.

Cajucultura

A produção do caju, uma das mais resistentes à seca, foi afetada

FONTE: RiachaoNet

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Protected by WP Anti Spam